"Com Arrupe para o Mundo"

28/03/2018
Leia o testemunho dos alunos do 12º ano que viajaram até Roma.

“Com Arrupe para o Mundo” é uma atividade que junta alunos do 12º ano e os seus professores, e que propõe a cada aluno a terminar o secundário:

  1. fazer a mala (síntese); 
  2. procurar o horizonte para o qual é chamado a caminhar (vocação).

Este ano a atividade realizou-se em Roma. Da Praça de São Pedro trouxemos uma bênção especial do Papa Francisco para todos os alunos, professores e pais do CPA. Nos testemunhos de alguns alunos podemos experimentar parte da emoção vivida.

Testemunhos

Formação Humana em Roma
João Miguel Sousa

Este ano, o destino da viagem de formação Humana foi a cidade à qual todos os caminhos vão dar, a cidade de Roma. “Com Arrupe, para o mundo”, aventurámo-nos numa última jornada de desenvolvimento individual no Colégio e abraçámos um novo futuro que rapidamente se aproxima.

Nas ruas desta cidade, reencontrámo-nos, tomámos consciência de um passado comum que a todos antecede e refundámos a esperança nesse futuro vindouro.

Perdidos nas infindáveis Igrejas que vão surgindo ou guiados pelos recantos menos badalados, vivemos em grupo a Roma do passado, de Inácio e de Pedro Arrupe, presenciámos a verdadeira vontade de efetivar mudança, de deixar marca.

Seja na Basílica de São Pedro, rodeados por homens de serviço, no Coliseu de Vespasiano ou no Fórum Romano, imersos na inexorável ambição, experienciámos todas as facetas do Homem, todas as vertentes da civilização.

Esta foi a viagem de um grupo único, pronto para um novo mundo, caminhando sobre ombros de gigantes, apoiado nas referências da educação Inaciana, certo no desejo de Ser a Servir.

Visita à Cúria Generalíssima da Companhia de Jesus
Alexandra Verdasca

Tudo nesta viagem foi incrível! Em particular, a visita Cúria Geral da Companhia de Jesus foi magnífica. Fomos, desde logo, amavelmente recebidos pelo padre Hermínio Rico, fundador do colégio e, sem dúvida, um elemento vital para descobrirmos Pedro Arrupe. A conversa com Hermínio Rico, num estilo familiar, permitiu-nos recuperar todos os momentos vividos no colégio e conhecer as origens e histórias que fazem deste, o nosso colégio.

Assim, esta foi uma experiência única que nos permitiu reviver aqueles dias à semelhança de Pedro Arrupe, um homem que se deu aos outros, fiel ao serviço e às suas crenças. Considero que estes cinco dias foram inesquecíveis, repletos de lugares incomparáveis, pessoas inexcedíveis e momentos indescritíveis...

Audiência geral com o Papa Francisco
José Luciano

Último dia de uma viagem memorável. (…) Apesar do sono e do cansaço de todos os dias sempre com muito que fazer, a chegada do Papa Francisco despertou em nós as energias de reserva e não houve quem se mantivesse sentado ou até quem não tentasse ver o papa ou dizer-lhe adeus. A manhã ficou ainda mais especial quando se ouviu “Colégio Pedro Arrupe” em toda a Praça de S. Pedro. Éramos nós! A nossa visita tinha sido notada e reconhecida. Seguiu-se a mensagem do Papa a todos os presentes, que, curiosamente, parecia resumir todo o propósito da viagem que realizamos: a vida humana deve florescer como a planta que floresce na primavera mas nunca esquecendo as suas raízes, pois sem as raízes a planta não sobrevive. Também nós fomos convidados a florescer e a tomar a iniciativa, a mostrar que fomos formados para fazer a diferença (“faz-te ao largo”), mas nunca esquecendo as nossas raízes e, por isso, fomos até Roma: para ficar a conhecer uma parte da vida daquele que deu o nome ao nosso Colégio, Pedro Arrupe, e daquele que inspirou muitos outros, como Santo Inácio de Loyola.

Para terminar a audiência foi rezado um Pai-Nosso que, pela participação de todos os que estavam presentes, me deu arrepios. 

Bastava tudo o que já contei e está já era uma manhã fantástica, mas o melhor estava para vir. Depois de esperar algum tempo, chegou a vez de o nosso excecional diretor de ciclo, Professor José Larião, gozar do seu direito a um encontro pessoal com o Papa Francisco. Mal lhe disse de onde vínhamos, o Santo Padre olhou para a multidão de jovens que se tentava aproximar dele e disse bem alto: “Pedro Arrupe” (…). Se demos uma imagem fidedigna da pedagogia inaciana a que estivemos sujeitos todos estes anos? Isso só o tempo o dirá (…), mas esta foi uma prova de que Pedro Arrupe nos tem servido de exemplo pois deste grupo de alunos formados neste colégio fantástico arrisco-me a dizer: nenhum de nós se resigna a que o mundo continue como se não tivéssemos existido.

Audiência geral com o Papa Francisco
Joana Nogueira

No último dia da nossa viagem tivemos uma das experiências mais rica de toda a viagem, a audiência geral com o papa Francisco. A expetativa era grande e o objetivo era não só estar o mais perto possível de sua santidade mas também ouvir as suas sábias palavras! 

Chegámos cedo aos lugares que nos foram concedidos, o que permitiu parar e refletir sobre o momento que estávamos a presenciar, sem dúvida um momento único cheio de emoção e sentimento. O Papa Francisco chegou à praça de S. Pedro e iniciou a oração da melhor maneira possível dizendo: “Oggi è il primo giorno di primavera. Buona primavera.” É impossível descrever a grandiosidade, firmeza e felicidade que estas simples palavras nos transmitiram, apenas quem lá esteve percebe, e é nestes pequenos momentos que percebemos que tudo tem um motivo de ser! 

Ouvir o Papa saudar todos os peregrinos e a fazer particular referência aos alunos do Colégio Pedro Arrupe fez-nos sentir importantes no meio de toda aquela grandeza. Por fim, depois da bênção do Papa e de terminada a oração, este saudou pessoalmente algumas pessoas em particular e, entre elas, o professor Larião. Este ofereceu-lhe a biografia do homem que temos como referência no nosso colégio, Pedro Arrupe, e mais uma vez o Papa Francisco cumprimentou-nos e acenou com a sua alegria contagiante. 

A nossa missão “Com Arrupe para o Mundo” estava cumprida e não poderia ter corrido melhor! Saímos do 12º ano como homens e mulheres prontos para o futuro com princípios e valores que nos foram transmitidos ao longo de vários anos e com a capacidade de olhar o mundo com outros olhos permitindo-nos fazer a diferença.