Quaresma 2018

21/02/2018
Precisamos de reconstruir as nossas «casas», as nossas famílias, as nossas relações de amizade e de trabalho… precisamos de nos reconstruir em verdade, generosidade e em pureza de espírito.

Caríssimas famílias,

Entrámos em pleno tempo de Quaresma. A Igreja propõe este tempo como uma oportunidade para que, não só os cristãos, mas também todas as pessoas de boa vontade, se prepararem de modo mais intenso para aquela que é a maior festa cristã: a Páscoa. Esta preparação não é outra coisa senão um exercício de conversão, de mudança, de reconstrução, se quisermos, de cada um, de cada família, de cada comunidade.

O status quo do nosso mundo leva o Papa Francisco – na sua mensagem de Quaresma – a identificar vários problemas que a todos nós incomoda e aflige: a difusão do mal e o enfraquecimento do sentido da humanidade comum. Os falsos profetas e os charlatães revestem-se de uma aparente beleza e sedução, procurando confundir o coração de cada pessoa oferecendo riqueza, poder, prestígio, dando em troca escravidão, mentira e ganância. As palavras são duras e podem parecer-nos distantes. Contudo, em cada momento, em cada situação da nossa vida, as oportunidades para escolher a verdade, o serviço, a humildade são testadas pela busca do prazer imediato, pela ilusão do dinheiro, pelo lucro fácil mas desonesto, pelas tentações a que estamos sujeitos habitualmente.

O nosso coração é um terreno fértil e muito disputado tanto pelo bem como pelo mal. Por isso, o Papa Francisco faz um grande apelo a todas pessoas, mesmo aos que não são católicos, mas que se preocupam com a difusão do mal e a falta de sentido de humanidade comum, a lutarem pela verdade (fruto da oração), pela generosidade (fruto da esmola) e pela pureza de espírito (fruto do jejum).
Cf. Papa Francisco, Mensagem da Quaresma 2018. Na sua mensagem, o Papa recorda os 3 instrumentos que ajudam a viver bem a Quaresma: oração, esmola e jejum. A oração leva-nos à verdade de quem somos, a esmola leva-nos à generosidade para com os outros e o jejum leva-nos a uma pureza de espírito.

Este apelo do Papa nesta Quaresma, motivou-nos para a reconstrução da casa comum. Precisamos de reconstruir as nossas «casas», as nossas famílias, as nossas relações de amizade e de trabalho… precisamos de nos reconstruirmos em verdade, generosidade e em pureza de espírito.
Neste sentido, queremos desafiar cada aluno, cada pai e mãe, cada professor, cada pessoa da comunidade do Colégio Pedro Arrupe, a reconstruir a casa comum através de gestos significativos.

Ao longo das próximas 5 semanas, no átrio da entrada, estará uma casa a precisar de reconstrução. Esta reconstrução será feita em etapas semanais, através de autocolantes colados em cada parte da casa por cada uma das 63 turmas (Os autocolantes serão cedidos às turmas pela Pastoral em cada uma das semanas.).

Vamos fazê-lo de um modo concreto ao longo destas 5 semanas:

1. Ajudamos a reconstruir o mundo, através de do gesto simples de recolha e entrega de alimentos para o Bairro da Fonte da Prata, na Moita. Neste bairro, conhecido por muitos de nós, vivem centenas de famílias no limiar da pobreza. A ajuda alimentar é uma forma simples, mas essencial, de contribuir para a reconstrução da casa comum que é o nosso mundo.

2. Ajudamos a reconstruir as nossas relações, procurando ser mais verdadeiros, mais generosos e mais compassivos.

Quaresma 2018

Confira aqui as datas das orações

Não deixe de ver os videos do Tempo+

» carta da Fundação Santa Maria Rafaela

Boa Quaresma para todos!
A Pastoral